Com voz trêmula, a criança sangue do meu sangue chamou: "mãããããeee!". E o que se deu a seguir, acredito, foi uma cena de amor explícito, escancarado para quem quisesse assistir. Quando mamãe viu sua cria sendo "gentilmente" apalpada pelos gambés, virou leoa ninja. A bolsa (comprada na liquidação do Mappin) que carregava presa ao peito, voou na velocidade da luz rumo aos homens da lei, com os gritos de "Solta meu filho! Larga ele!". Impressionante como mamãe é boa nisso! Foi bolsada pra todo lado.