A admissão do caráter estruturante do racismo no tecido social nos leva a fazer uma avaliação profunda dos modelos de desenvolvimento em voga e a pensar em novos pactos sociais, em perspectivas que possam fundar uma outra dinâmica social. Nós, mulheres negras, estamos profundamente empenhadas em contribuir com essa avaliação.