Na aula de português, após sair de um grupinho de meninos, sentados a parede, veio a mim uma amiga atônita: “Bárbara! Você não vai acreditar, um dos meninos disse que gosta de você! Ele quer se declarar, te pedir em namoro. Meu Deus! Você vai?”