O feminismo que não faz recortes, perece e falha. Se torna ineficaz e tão exclusivo quanto aquilo que combate. É alheio a realidades paralelas e segregacional. Como declarado por Grada Kilomba, artista interdisciplinar portuguesa, "O racismo é uma problemática branca", e a cada um deve ser dada suas responsabilidades.