O colono chegou com a sua Bíblia e transferiu seus pecados para mim
Chegou com GANÂNCIA e apoderou-se da minha casa, onde o recebi como convidado
Chamou-me PREGUIÇA e levou meus filhos para trabalharem por ele
Batizou-me LUXURIA enquanto violava a minha mãe e as suas próprias mulatas
Saciou sua GULA no meu café, cacau e até hoje o pecado é meu…?
Não sei o que INVEJA em mim…
Será meu swag, meu ritmo, o meu gingar?
Hoje canta com orgulho um passado tenebroso que ele descreve como virtuoso
Onde justifica a IRA causada pela sua guerra profana
Pelo fato do meu Deus ser menor
E diz que o pecado nunca foi seu, sempre meu, sempre meu…

Assimilei sua língua, seu vestir, sua tradição e a sua definição de mim
E carreguei de geração em geração um pecado que não é meu, sempre seu, sempre seu.
E o pecado é agora grande indiscrição, pequeno delito ou crime capital
Que me mantém em subalterna condição de eterno assimilado,
Eterno prisioneiro da sua definição de mim.

Hoje declaro liberdade!!
E Danço com os meus deuses, reconhecendo os meus provérbios na Bíblia, Corão e a Torah
Eu sou a criação
Eu sou renovação
Eu sou a essência da vida.
Eu sou virtude
Eu sou…
Generosa doando mais do que é pedido,
Recebendo tão pouco, tão pouco
Eu sou…Diligente e dinâmica…
Trabalhando por dois ou três por meio salário.
Criando maravilhas que o outro proclama como suas
Sou modesta e recatada usando o meu corpo como veículo de um amor que me honra
Saboreio com moderação os meus pratos tradicionais
E reconheço que cada um de nós dá o seu contributo neste mundo de egos inflamados
Orgulho-me das batalhas travadas pela minha liberdade, minha dignidade minha humanidade
Reconcilio-me com os meus para dissipar a dor e o sofrimento causados pela ira alheia
O meu swag, meu ritmo e meu gingar são manifestações da minha ligação com os deuses
Tão grandes como o amor que tenho para partilhar
E é por eles que danço
Porque eu sou a criação
Eu sou renovação
Eu sou a essência da vida
Eu sou demais para assimilar…

Imagem destacada: Instagram/fatgirlsdancemovement